segunda-feira, 21 de abril de 2014

Grandes encontros

O feriado de Páscoa prometia. Recebera um time de primeira na minha cidade, o divertidíssimo Daniel Santos e seu filho Luis Henrique, o nobre Paulo Couto(que nos presenteou com uma belíssima foto do chifre-de-ouro e uma perfeita ilustração do gavião-de-penacho, mostrando que além de excelente fotógrafo, é um ótimo ilustrador) e o grande ornitólogo Wagner Nogueira(que possui um talento ímpar para identificar aves).

Daniel, Luis, Paulo, eu e o Wagner, na floresta encantada
Foto cedida pelo Daniel Santos

Apesar do descanso reprodutivo(época que as aves ficam menos ativas), a floresta encantada não só não decepcionou, como confirmou seu grande potencial.
Até para um profissional como o Wagner teve lifer - o rabo-branco-pequeno(Phaethornis squalidus). Aliás a floresta estava muito florida, beija-flor-cinza(lifer pro Paulo), estrelinha-ametista, beija-flor-de-peito-azul, beija-flor-preto, entre tantos outros enchiam a mata de trinados e zumbidos.
Chegamos até visitar uma RPPN em João Monlevade. Mata alta, bonita... mas passarinho que é bom mesmo...
Resolvemos então explorar trechos da floresta encantada que adentram o município vizinho de São Gonçalo do Rio Abaixo e que eu nunca havia ido. Eram grotas com árvores altas, mata fechada, entre elas um pequeno eucaliptal.

Foto de Daniel Santos


Já havíamos encontrado curió e azulão na área piracicabense da floresta, o que foi motivo de grande alegria pra mim, pois já há um bom tempo procurava estes bichos na minha cidade.
Aproveito o ensejo para agradecer ao Wagner, foi ele que encontrou os bichos. Graças a ele também encontramos oito novas espécies para a lista da cidade, como o sabiá-do-banhado(Embernagra platensis), o chocão-carijó(Hypoedaleus guttatus) e o rabo-branco-pequeno(Phaethornis squalidus).


Sabiá-do-banhado encontrado no distrito de Conceição de Piracicaba

Rabo-branco-pequeno

Azulão fêmea

Curió jovem
Foto gentilmente cedida pelo Paulo Couto


































Explorando a floresta no trecho do município vizinho encontramos também o joão-corta-pau(mas sem chance pra foto) e formigas de correição que eram seguidas por uma grande quantidade de barulhentas papa-taocas-do-sul e de um bando de saguis-de-cara-branca.

Sagui-de-cara-branca


Papa-taoca-do-sul seguindo formigas-de-correição


Mas o melhor ainda estava por vir.
Estava com o Wagner explorando novas áreas, enquanto os amigos santoantonienses tentavam melhorar o registro do formigueiro-da-serra, quando escutamos um pio. O Wagner exclamou: gavião! Completei: pega-macaco!
A euforia tomou conta, o playback foi prontamente atendido com um sobrevoo lento, quase pairado como um albicaudatus. Então ouvimos outro, era o casal que já havia registrado outras vezes na floresta encantada. O Wagner saiu correndo para chamar os outros amigos. Todos ficamos muito felizes em encontrar o lendário apacanim-preto!
Lembro-me que o Daniel havia me questionado, há um bom tempo atrás, sobre um registro que havia feito em Caeté. O gavião-pega-macaco era um antigo sonho para ele, e com certeza para seu filho também, o Luis Henrique. O Paulo havia feito um importante registro deste rapinante florestal em Mato Grosso, mas ele não estava satisfeito com a foto, queria melhorar o registro. E até para um profissional como o Wagner, acostumado a grandes encontros, era impossível ficar indiferente àquela imponente presença.
Quanto a mim, um aficionado em aves de rapina desde criança, tal encontro sempre será regado de adrenalina, entre outras biritas naturais.

Foto sem crop


Todos satisfeitos e famintos, despedimo-nos da floresta que abriga tantos tesouros.

Foto: Paulo Couto

O Wagner teve que retornar para sua casa naquele mesmo dia. Nós tínhamos ainda a manhã do dia seguinte. Então voltamos à floresta com o intuito de fotografar o joão-corta-pau e o curió(no dia anterior não consegui fotografá-lo e desejava muito registrar aquela rara ave na minha cidade).
Não encontramos o curió, mas encontramos o pica-pau-rei, lifer pro Daniel e pro Luis, já pra mim e pro Paulo foi uma oportunidade de melhorarmos nosso registro deste belíssimo pica-pau, o maior do Brasil.





Reencontrar os amigos numa passarinhada já é bão dimais!

Então o que dizer quando tal encontro nos proporciona algo sonhado há décadas?

Quando o ser que você sempre admirou, uma criatura que por anos povoou somente a imaginação de um menino, até que uma foto de um indivíduo pousado deu vida a descrições de textos antigos.

Quando este ser, alçado a condição quase divina, inatingível a nós meros mortais, não só desce de seu reino, mas o fita com sua alma, o que dizer?
Melhor só sentir:







Por fim só posso agradecer aos grandes amigos que me deram a honra de suas visitas.
Valeu demais pessoal!!!

4 comentários:

  1. Emocionante passarinhada, belos lifers e sensacionais fotos do pega-macaco.
    Abços
    Márcio Nery

    ResponderExcluir
  2. Maravilha! Mesmo não estando lá, fiquei sem fôlego aqui!

    ResponderExcluir